Brasileiros dão show no UFC Pará; Lyoto vence

Das 11 lutas do card, brasileiros venceram nove, ficando 100% no card preliminar

por Guilherme Estevão, São Paulo - 5 de fevereiro de 2018

O UFC Fight Night 125: Machida vs. Anders, mais conhecido como UFC Belém, foi o primeiro evento do Ultimate a ser realizado no Pará, mais precisamente em sua capital, Belém, na Arena Guilherme Paraense, o Mangueirinho, no dia 3 de fevereiro. Com 11 lutas no card, o Brasil conseguiu um saldo positivo de 9 x 2. Apenas a estreante Priscila Pedrita e o jovem Marcelo Golm perderam. No mais, Brasil na cabeça. Veja detalhes dos confrontos.

Card Principal

Médios – Lyoto Machida derrotou Eryk Anders – Decisão Dividida (48-47, 47-48 e 49-46)

Após 3 anos sem vencer e amargar uma vergonhosa derrota no UFC São Paulo, Lyoto Machida voltou a ter o braço erguido ao final de um confronto. Venceu o americano Eryk Anders por decisão dividida e ainda impôs ao rival sua primeira derrota na carreira. Lutando na cidade onde cresceu e na primeira vez que Belém recebe um UFC, Lyoto voltou às origens do karatê para tentar a vitória.

Como era de se esperar, ambos fizeram uma luta bastante equilibrada, se expondo pouco e se estudando demais. Anders caprichava nas joelhadas e o dragão nos contragolpes. Após cinco rounds, a luta foi para os árbitros que deram a Lyoto sua 23ª terceira vitória na carreira.

Moscas Feminino – Valentina Shevchenko derrotou Priscila “Pedrita” Cachoeira – Finalização (Mata Leão)

A expectativa era grande para este  co-main event, afinal, a brasileira Priscila Pedrita estava invicta no MMA e enfrentava Valentina Shevchenko, que recentemente disputou cinturão.

Mas não deu para a brasileira. Não mesmo. Depois conectar bons jabs no primeiro round, a visitante derrubou Pedrita e castigou durante todo o duelo, fazendo a lutadora carioca não conseguir nenhum golpe sequer. Quando a luta se encaminhava para um nocaute, a quirguistanesa sacou uma finalização e fechou o segundo round com um mata-leão.

O resultado da a 15ª vitória a Valentina e a primeira derrota a estreante Priscila Pedrita.

Peso Casado (161 lbs) -Michel “Trator” Prazeres derrotou Desmond Green – Decisão Unânime (30-27, 29-28 e 29-28)

O brasileiro Michel Trator enfrentou o americano Desmond Green, em duelo equilibrado. Enquanto Trator utilizava as mãos pesas para golpear e somar pontos, Green demonstra vontade com falta de paciência. Trator venceu nos detalhes.

Pesados – Timothy Johnson derrotou venceu Marcelo Golm – Decisão Unânime (30-27, 29-28 e 29-28)

No duelo da experiência contra a juventude, deu a primeira. O brasileiro Marcelo Golm fez boa luta, levou até os juízes, que acabaram dando a vitória ao americano.

Galos – Douglas Silva de Andrade derrotou Marlon Vera – Decisão Unânime (30-27, 30-27 e 30-27)

Lutando em casa, o paraense Douglas Silva foi superior em todos os três rounds e conseguiu aumentar sua impressionante marca de 25 vitórias.

No round inicial o brasileiro caminhou para frente e imprimiu seu ritmo, tentando acuar o equatoriano Marlon Vera. Com chutes para os dois lados e muito estudo, o brasileiro só conseguiu arrancar uma vantagem nos últimos 20 segundos, quando conseguiu duas quedas que valeram pontos para a decisão final.

No segundo round o brasileiro mostrou superioridade. Conseguiu bons socos que abriram o supercílio direito de Veras que, mesmo sangrando, não desiste da luta e continua a tentar golpear com chutes altos e contragolpes. Mas Douglas segue firme e agressivo, parecendo disposto a nocautear .

Mas o paraense teve de esperar até a decisão dos juízes para saber que venceu. Veras voltou para o último round para o tudo ou nada. Mesmo com a agressividade inicial, o equatoriano sucumbiu a ótima noite brasileira.

O fato lamentável foi o gesto de desespero de Marlon Vera para desestabilizar o rival, mostrando os dedos do meio durante os segundos finais do combate.

Médios – Thiago Santos derrotou Anthony Smith – Nocaute Técnico (Chute no Corpo e Socos)

Na primeira luta do card principal, Thiago Marreta venceu mais uma e emplacou uma sequência de quatro vitórias seguidas no UFC.

Início de luta e Marreta se desequilibrou. Anthony Smith foi pra cima, mas o brazuca conseguiu se recuperar. E fez melhor, aplicou um chute fazendo o americano caminhar para trás. Em seguida, aplicou mais um chute que Smith aproveitou para o segurar e jogar para o chão, caindo por cima. Thiago inverte a posição em alguns segundos e golpeia o rival no chão. Quando consegue se levantar, o “coração de leão” vai com tudo de encontro ao brasileiro tentado um chute, quando Marreta acerta belo soco no contragolpe, quase levando o rival ao nocaute.

Nocaute este que aconteceu no segundo round, sem deixar para a dúvida da arbitragem. Pouco mais um minuto e Thiago acertou um chute na boca do estômago do americano, que acusou o golpe, fazendo o carioca ir pra cima e “marretar” a vitória por nocaute e marcando sua 17ª vitória na carreira. Já Anthony, teve sua 13ª derrota.

Card Preliminar

Meio-Médios – Sérgio Moraes derrotou Tim Means – Decisão Dividida (28-29, 29-28 e 29-28)

Duelo de duas feras: Serginho “Pantera” Moraes x Tim “The Dirty Bird” Means. O brasileiro acabou levando a melhor por decisão dividida em combate bastante disputado na quinta luta da noite que coloca frente a frente dois estilos de lutas diferente, jiu-jitsu lutando em casa contra o visitante do muay thai.

No primeiro round um duelo equilibrado. Algumas trocas de golpes, quedas, mas nada que fizesse alguém ter ampla vantagem sobre o outro.

A luta ficou na trocação franca entre ambos. Um toma lá da cá. Bate e leva. É a luta de maior equilíbrio até então. Segundo e terceiro rounds com os dois cheio de vontade, socos firmes e chutes.

Serginho chegou a ficar bastante cansado nos últimos minutos de luta, mas aguentou até o fim para ter sua 13ª vitória na carreira. O americano sofreu sua 10ª derrota.

Leves – Alan Patrick derrotou Damir Hadžović – Decisão Unânime (30-25, 30-27 e 30-27)

O brasileiro Alan Nuguette conseguiu a quarta vitória brasileira no UFC Belém. Com características mais explosivas, lutou de forma inteligente e não parou de tentar o nocaute em momento algum.

No round inicial, após se desequilibrar e quase sofrer um perigoso chute no rosto, o brasileiro dominou a luta e conseguiu boas quedas, ficando por cima em algumas oportunidades e golpeando bastante, mas sem minar o bósnio Damir Hadžović.

No início do segundo round, o dono da casa empolgou os torcedores ao aplicar golpes de capoeira e depois jogar para o chão novamente, mostrando um excelente preparo físico, fazendo o visitante sofrer. Mesmo dominando amplamente o octógono, Alan não conseguia vencer.

No último round, Nuguette derrubou novamente o bósnio e ficou por cima, golpeando e tentando acabar com a luta, que só terminou quando o sinal tocou após 15 minutos. Vitória por pontos, decisão  unânime, para o brazuca que consegue sua terceira vitória seguida, contra a quarta derrota na carreira do rival.

Palhas Feminino – Polyana Viana derrotou Maia Stevenson Finalização (Mata Leão)

A brasileira Polyana Viana iniciou o combate muito bem. Quase conseguiu um finalização de braço no segundo minuto de luta, mas não encaixou e a americana Maia Stevenson conseguiu sair.

Polyana ainda conseguiu derrubar a rival no último minuto no primeiro round e aplicar a montada, quando Maia tentou virar de costas para escapar e a paraense pegou seu pescoço no mata-leão e acabou com a disputa.

A “Dama de Ferro”, como é apelidada a brasileira, conseguiu sua 10ª vitória na carreira e impondo a americana sua 5ª derrota.

Galos – Iuri Alcântara derrotou Joe Soto – Nocaute Técnico (Chute no Corpo, Cotovelada e Socos)

Mais uma vitória brasileira e de forma avassaladora. Pouco mais de um minuto de luta e Iuri Marajó, “como um lobo”, segundo ele, “caçou” o rival até conseguir o nocaute em cima de Joe Soto.

Foi um chute no corpo, seguido de uma sequência de socos. O adversário já parecia vencido no chão, mas o árbitro ainda esperava sua reação, enquanto Marajó não perdoava e continuou a massacrar até o nocaute. Está foi a segunda derrota seguida de Soto, enquanto o brasileiro se recuperou de duas derrotas.

Moscas – Deiveson Figueiredo derrotou Joseph Morales – Nocaute Técnico (Socos)

Na primeira luta do UFC Belém, Deiveson “Deus da Guerra” Figueiredo foi impecável em sua apresentação ao derrotar o americano Joseph Morales.

O brasileiro dominou a luta o tempo todo, tendo oportunidade de vencer ainda no primeiro round, chegando a estar em cima do rival, prestes ao estrangulamento, quando suou o gongo e acabaram os primeiros cinco minutos de luta. No segundo round, sem dar chance para o azar, foi pra cima e nocauteou numa sequência de socos. O triunfo deu a primeira vitória do Brasil na noite e dando ao seu rival a primeira derrota no MMA, permanecendo invicto.

Twitter
Principais Veículos e Jornalistas

Mais Futebol

Ver Mais Posts
Rádio Ao Vivo