Reerguido

Há oito jogos sem perder, Santos embala no Brasileiro e sonha com Libertadores

por Guilherme Estevão, São Paulo - 10 de setembro de 2018

Parece que as coisas estão voltando a ser como eram na Vila Belmiro, isso porque, o Santos tem se recuperado no Campeonato Brasileiro ao se distanciar da zona do rebaixamento que tanto atormentou o clube nas últimas rodadas. Já são sete partidas sem tomar gols e oito em que a equipe de Cuca permanece invicta, com a derradeira vitória sendo em cima do lanterna Paraná, por 2 a 0, neste domingo (9) em Curitiba, tornando-se o oitavo colocado com 31 pontos e um jogo a menos.

No embate contra o Tricolor Paranaense, o Alvinegro Praiano não teve muitas dificuldades para vencer o último colocado em sua casa, apesar de uma primeira etapa sem criatividade e morna.

A diferença veio na segunda etapa, com a entrada de Rodrygo que foi preservado fisicamente, e com Gabriel que mais uma vez foi o melhor em campo marcando os dois gols do Peixe, em dois cruzamentos de Derli González pela direita e com Rodrygo armando contra-ataque para a conclusão no segundo.

“Estamos há oito jogos sem perder, sete sem tomar gols, é construção de uma estrutura desses meninos. Um dia vai cair e começaremos outra. Quanto mais demorar, melhor”, disse o técnico Cuca citando os cinco últimos confrontos no Brasileirão, mais os dois empates, com bola rolando contra o Independiente na Libertadores e o jogo de volta contra o Cruzeiro pelas quartas da Copa do Brasil.

Contudo, a boa vitória não significa que o jogo foi totalmente dominado pelo Santos. Na primeira etapa principalmente, a equipe paulista tinha dificuldades para se desvencilhar da marcação paranaense, com Gabriel saindo da posição de centroavante para criar as jogadas santistas.

Com a entrada de Rodrygo, o artilheiro teve mais liberdade para ser somente a referência no ataque santista. Além disso, Bruno Henrique e Bryan Ruiz não estavam produzindo, logo, a entrada do meia de 17 anos foi essencial para o desiquilíbrio da partida.

“Acho que foi a conversa que o Cuca teve com a gente no intervalo. Ele disse que a gente estava tocando muito a bola, só que tocando sem objetivo. A gente precisava ser mais objetivo, chutar no gol, acertar o gol. Então acho que isso mudou no segundo tempo e deu tudo certo”, comentou Rodrygo após o jogo.

No entanto, a boa e repentina fase santista pode ser frustrada no próximo domingo (16), ocasião em que o Peixe terá pela frente o vice-líder São Paulo, no tradicional clássico San-São, duelo na Vila Belmiro, às 16h.

Além disso, o período político no clube não é também dos melhores, já que nesta semana o Conselho Deliberativo vota para acatar ou não o processo de impeachment do presidente José Carlos Peres, o que pode influenciar como um todo no clube da Baixada.

“Eu não joguei clássico [ainda pelo Santos]. É clássico, difícil, jogo igual. São Paulo tem equipe ajustada, pronta, temos que respeitar”, finalizou o treinador santista.

Twitter
Principais Veículos e Jornalistas

Mais Futebol

Ver Mais Posts
Rádio Ao Vivo