Histórico Copa do Mundo Feminina

História do futebol feminino

por Guilherme Estevão, São Paulo - 8 de junho de 2019

Por Carol Renosto

A Copa do Mundo é um dos torneios mais aguardo no mundo do futebol , ela acontece a cada quatro ano, em países sedes diferente, como o caso da competição masculina, que movimenta toda a indústria do entretenimento. No entanto, a Copa do Mundo feminina está em crescimento de importância, pois a mesma não obtém o mesmo reconhecimento, nem a mesma premiação. A causa passou ser considerada a quase 20 anos, quando começou o torneio feminino.

 

Copa do Mundo

 

Copa do Mundo

 

A Copa do Mundo Feminina esta preste a começar, com um elenco digno das maiores conquistas. A Seleção Feminina tem em seu elenco estrelas como a atacante Marta, eleita seus vezes melhor jogadora do mundo. Mas, nem sempre o elas tiveram este reconhecimento, as mulheres já foram proibidas de praticar o esporte.

Em muitos países houve um decreto em que proibiam mulheres de jogar futebol. Países como Inglaterra, Alemanha, França e Brasil permaneceu com esta determinação por pelo menos 20 anos. Mas, ainda assim, tiveram moças que seguiram com a atividade, porém suas histórias são desconhecidas.

Com o início de um dos torneios, a Copa do Mundo, tem uma história um tanto quanto curiosa que começou em 1991. Ou seja, estamos na 8º edição da competição e este ano será sediada pela França.

Para relembrar o passado é preciso conhecer a história, em 1986 durante a Copa do Mundo do México, a alta cúpula da FIFA reuniu-se e decidiu que nos próximos anos seriam discutidos formatos e sugestões para reunir os grandes nomes do futebol feminino. Anos depois de a ideia formalizada, a competição ficou conhecida como o evento internacional mais importante do meio.

 

Primeiro Torneio

 

Copa do Mundo

 

A primeira sede foi no continente asiático, Os Estados Unido sediou por dois anos consecutivos. Somente após 12 anos voltou para a China, mas a anfitrião não pode receber o torneio de 2003, devido a uma epidemia que tomou conta do país. Para adotar novas mudanças, a competição foi para Europa mais precisamente, na Alemanha, em 2011.

E assim a disputa passou por algumas mudanças. O número de equipes passou de 16, para 24, para chegar o mais próximo do molde usado na Copa do Munda Masculina. O Canadá teve a honraria de receber o evento no novo formato, na ocasião o E. U. A. levou mais uma vez o título.

Neste ano, a competição irá ser televisionada por canais abertos, pela primeira vez da sua breve história. O torneio terá a duração de um mês. Sendo que na primeira fase, as equipes serão divididas em seis grupos, cada um deles contaram com três times, os dois primeiros colocadas de cada grupo avançarão para a fase do mata-a-mata.

Ao mesmo tempo que, algumas Seleções, buscarão o feito inédito de campeões, igual o comemorado pelo Japão em 2011, como as brasileiras buscam o seu primeiro título de melhores do mundo. Já outras estão em busca de consolidar a hegemonia, como as americanas. Mas, a seleção alemão está em busca de igualar os títulos da competição, sabendo que elas tem apenas um troféu de diferença.

Em suma, esta competição será palco grandes emoções. A oitava edição será uma das mais emblemáticas da história. Como resultado, em um levantamento feito pela FIFA, este foi o mundial feminino com a maior venda de ingressos para as partidas, ao todo serão 33 duelos, que passarão pelos estádios da França.

 

Seleção brasileira feminina

A seleção brasileira está na décima posição do ranking das seleções da Federação Mundial de Futebol (FIFA). Mas, a sua história não é somente posições de ranqueamento. As primeiras disputas da história registradas, foi em meados dos anos 20, no Rio de Janeiro. Muito timidamente as mulheres já buscavam o seu espaço. As primeiras referências da prática, foi considerada performance mais precisamente em circos.

Mesmo com isso, o primeiro aparecimento público foi somente em 1940. Em um duelo no Pacaembu, entre mulheres, o que levou uma grande revolta da sociedade naquela época. Pois o esporte praticado pelo sexo feminino era inadmissível. Entretanto, um ano depois houve a proibição do esporte no Brasil, foi criado o Conselho Nacional Desporto. Na época, sob as mãos do ministério da educação. Foi então instituído um decreto-lei (3199, art 54). O texto trazia de forma mais geral que as mulheres não deveriam praticar esportes que não fossem adequados a sua natureza. Apesar de não ser citado nominalmente, o futebol se enquadrava.

 

 

Copa do Mundo

 

Anos depois da proibição, já no governo militar em 1965, o decreto foi publicado novamente, mas dessa vez detalhado. DECRETO-LEI N. 3.199 – DE 14 DE ABRIL DE 1941

Art. 54. Às mulheres não se permitirá a prática de desportos incompatíveis com as condições de sua natureza, devendo, para este efeito, o Conselho Nacional de Desportos baixar as necessárias instruções às entidades desportivas do país.

Então, não há registros daquela época, pois a prática, podia ser feita somente clandestinamente.

 

Revogação do decreto

 

Somente, em 1971, o decreto foi revogado e a prática podia ser feira de maneira aberta para todos saberem. Porém, mesmo com o fim da proibição, era escasso o apoio de equipes profissionais e da Federação de futebol. A sua regulamentação de fato foi em 1983, foi criado calendários para a competição, utilizar estádios e ensinar nas escolas. Clubes surgiram e foram os pioneiros da época, abriram as portas para as profissionais de hoje.

Posteriormente, a FIFA realizou um torneio experimental em 1988, na China. Em inglês, foi chamado de Women’s Invitational Tournament. Porém, não houve uma comoção grande, as jogadoras em maior parte do Rio e Juventus (SP), não tiveram a confecção de roupas para elas, tendo que usar o uniforme masculino. Mas, o torneio, acabou por ajudar a semear ainda mais o esporte, foram 12 seleções ao todo na competição, as brasileiras ficaram em terceiro lugar na disputa das penalidades máximas.

Com a visibilidade e a alta foi oficializado o Mundial para o ano de 1991. A CBF assumiu o time oficialmente. Mas o tratamento entre as categorias era diferente. A seleção foi eliminada logo na primeira fase e deixou o torneio.

Nos anos seguinte, as oportunidades aumentaram, puderam disputar as olimpíadas pela primeira vez. A seleção brasileira, repleta de veteranas da geração anterior como, Suzy, Sissi, Pretinha e Roseli, terminou na quarta colocação.

 

Primeira medalha

 

Copa do Mundo

 

A medalha, título mundial veio somente em 1999, na Copa do Mundo, em terceiro lugar nos Estados Unidos, elas subiram ao pódio pela primeira vez em sua história. O gol da vitória sobre a Nigéria nas quartas, marcado por Sissi, é lembrado até hoje como um dos mais bonitos da história dos Mundiais.

Em 2003, o Brasil e o Mundo conheceu a Marta ainda garota, mas com um potencial incrível o que a levou anos mais tardes a seis troféus de melhor jogadora do mundo. O Brasil foi eliminado nas quartas de final para a Suécia. O clima tempestuoso entre jogadoras e técnico era nítida o que levou a uma atuação não boa na competição.

Desde então, é crescente o número de apoiadores. Já conquistaram o bronze em Copa do Mundo e prata nas Olimpíadas de 2004 deu início a geração que tornou-se a mais vitoriosa do Brasil, mesmo em território nacional ainda é tímido a expressividade de competições femininas por clubes, elas tem grande apoiadores e grandes protagonistas ao longo de sua história. Este ano, é mais uma oportunidade para elas irem em busca do maior título mundial.

 

Twitter
Principais Veículos e Jornalistas

Mais Futebol

Ver Mais Posts
Rádio Ao Vivo